Setur propõe planejamento de ações para fomentar turismo étnico-afro



O processo de expansão do turismo étnico-afro na Bahia requer ações de planejamento e organização que podem ser ainda mais eficazes se as lideranças deste segmento e o poder público atuarem em conjunto. Em síntese, esta foi a mensagem levada pelo secretário estadual do Turismo, José Alves, aos participantes do I Encontro de Umbanda da Bahia, realizado neste sábado (18), no Gran Hotel Stella Maris, na capital baiana. Por meio de um acordo de cooperação entre as secretarias do Turismo e da Cultura, o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac) e o Centro de Umbanda Mística Oxum Apará, o Governo do Estado apoia a realização do evento que reúne cerca de 1.300 pessoas. Leigos e especialistas em temas relacionados à Umbanda participam da programação de palestras cujo eixo principal é o combate à intolerância religiosa. Ao lado do diretor do Ipac, João Carlos de Oliveira, representante da secretária Arany Santana (Cultura), o secretário José Alves disse que Cultura e Turismo valorizam todas as religiões. Ele deu ênfase ao trabalho da Secretaria do Turismo do Estado (Setur) neste segmento, mapeando atrativos naturais e culturais do étnico-afro, a fim de contribuir para a sua roteirização e formatação de produtos turísticos. “Entre 2016-2017, a Setur promoveu a capacitação de duas mil pessoas, em seis zonas turísticas, onde atrativos naturais e culturais do étnico-afro foram mapeados”, afirmou José Alves. “Se vocês estiverem reunidos numa associação, sua articulação com o poder público proporcionará melhores resultados”, finalizou. A programação prosseguiu até às 17h com uma série de atividades. O palestrante Alexandre Cumino abordou ‘O que é a Umbanda? Uma religião brasileira e sua relação com o dia a dia”.

#Turismo #etnicoafro

0 visualização