Campeão do Itacaré Surf Sound estréia hoje no Havaí. Acompanhe!



Capixaba Rafael Teixeira avança ao segundo round em Haleiwa. Foto: © WSL / Heff.

Rafael Teixeira, Victor Bernardo, Lucas Silveira, David do Carmo e Luel Felipe garantem vaga no segundo round do Hawaiian Pro em Haleiwa, North Shore de Oahu, Havaí.

Capixaba Rafael Teixeira avança ao segundo round em Haleiwa. Foto: © WSL / Heff.

O Hawaiian Pro abriu a Tríplice Coroa Havaiana na última terça-feira (14) em ondas de até 1 metro em Haleiwa, na ilha de Oahu, Havaí. O prazo do penúltimo QS 10.000 do ano começou no domingo, mas as condições do mar só melhoraram um pouco no terceiro dia para realizar dezoito baterias, as dezesseis da primeira fase e mais duas da segunda.

Dos 32 participantes da América do Sul, doze competiram na terça-feira e oito se classificaram com quatro vencendo suas baterias. O uruguaio Marco Giorgi ganhou a primeira da segunda fase e vai enfrentar o campeão mundial Adriano de Souza na abertura da rodada dos principais cabeças de chave do evento. Os adversários deles na batalha pelas primeiras vagas nas oitavas de final do Hawaiian Pro serão o norte-americano Griffin Colapinto e o australiano Soli Bailey. Além de Mineirinho, mais onze brasileiros fazem parte da lista dos 32 surfistas mais bem ranqueados na World Surf League que vão estrear na terceira fase.

O paulista Caio Ibelli é um dos cabeças de chave da segunda bateria e o pernambucano Ian Gouveia da terceira. Na quinta e sexta, estão os dois reforços já confirmados na “seleção brasileira” do CT 2018 entre os dez indicados pelo WSL Qualifying Series, o catarinense Yago Dora e o paulista Jessé Mendes, respectivamente.


Victor Bernardo comanda dobradinha sul-americana da primeira fase. Foto: © WSL / Keoki.

Na sétima bateria, tem Brasil em dose dupla com dois integrantes da elite atual que precisam de bons resultados na Triplice Coroa Havaiana para manter suas vagas para o ano que vem, os paulistas Miguel Pupo e Wiggolly Dantas. Na mesma situação está o potiguar Italo Ferreira, que estreia na décima bateria.

Na 11a, o catarinense Willian Cardoso começa a defender a quarta posição no ranking do QS. Na 12a, o potiguar Jadson André inicia a busca por um lugar no G-10 para permanecer no CT e a 13a também é encabeçada por dois brasileiros, Filipe Toledo já confirmado em 2018 e o catarinense Tomas Hermes que ocupa o quinto lugar no QS. Brasil o G-10 Além do líder Jessé Mendes e de Yago Dora, Willian Cardoso e Tomas Hermes, o cearense Michael Rodrigues é o quinto brasileiro entre os dez que estão se classificando pelo ranking de acesso da World Surf League.

No momento, ele se encontra na perigosa penúltima posição no G-10 e vai estrear na 11a bateria da segunda fase, que já foi iniciada com os dois primeiros confrontos fechando a terça-feira em Haleiwa Beach. O uruguaio Marco Giorgi ganhou o primeiro e outros dezesseis surfistas da América do Sul vão disputar classificação em onze baterias nesta quarta-feira.


Uruguaio Marco Giorgi já está garantido no terceiro round. Foto: © WSL / Keoki.

Marco Giorgi conquistou a quarta e última vitória sul-americana no primeiro dia de competição no Hawaiian Pro. Ele mandou um aéreo de backside numa esquerda para totalizar exatos 13.00 pontos e bater um top do CT no ano passado, Nat Young, que passou em segundo com 11.80. Com a nota 6.73 da sua última onda, o californiano superou os 10,90 pontos do havaiano Elijah Mas, o primeiro a sair do mar em primeiro lugar na bateria foi um brasileiro, Victor Bernardo, com o peruano Lucca Mesinas completando uma dobradinha sul-americana contra o costa-ricense Tomas King e o havaiano Logan Bediamol. Depois, só o peruano Tomas Tudela, que neste ano venceu o Maui and Sons Arica World Tour nos tubos de El Gringo no Chile, e o pernambucano Luel Felipe derrotando três havaianos, estrearam com vitórias nas ondas de Haleiwa Beach na primeira fase. Assim como Lucca Mesinas, três brasileiros passaram em segundo lugar nas suas baterias. A primeira classificação foi a do capixaba Rafael Teixeira no terceiro confronto do dia, também contra três locais da ilha de Oahu. Ela aconteceu logo após o experiente Raoni Monteiro ser eliminado em sua volta à Tríplice Coroa Havaiana. Outro carioca, Lucas Silveira, avançou na sua, mas teve que brigar pela segunda vaga com o paulista Hizunomê Bettero na disputa vencida pelo havaiano Imaikalani Devault. O paulista David do Carmo fechou a lista dos quatro sul-americanos classificados em segundo lugar na terça-feira.


Marolas marcam o início da penúltima etapa do QS 10.000 da temporada. Foto: © WSL / Heff.

Segunda fase Eles voltam a competir no Hawaiian Pro nesta quarta-feira, que vai começar com o paranaense Peterson Crisanto disputando o primeiro confronto do dia com o francês Marc Lacomare, o havaiano Kiron Jabour e o japonês Hiroto Arai. A primeira chamada será às 7 no Havaí, 15 no horário de verão do Brasil. Na segunda, válida como a quarta da segunda fase, tem Brasil em dose dupla com Flavio Nakagima e Rafael Teixeira enfrentando o marroquino Ramzi Boukhiam e o havaiano Keoni Yan.

CLIQUE AQUI E ACOMPANHE HAWAIIAN PRO MEN'S QS


Na sequência, o peruano Lucca Mesinas encara três australianos na quinta bateria e na sexta entram mais dois sul-americanos para brigar por duas vagas para a terceira fase, o peruano Miguel Tudela e o brasileiro Victor Bernardo. Depois, tem o baiano Bino Lopes estreando na oitava bateria, o paulista Alex Ribeiro na nona, o cearense Michael Rodrigues começando a defender vaga no G-10 na 11a e na 12a o paulista Deivid Silva, campeão do Hang Loose São Sebastião Pro em Maresias e do Itacaré Surf Sound Festival apresentado pela South to South na Bahia, as últimas etapas antes da Tríplice Coroa Havaiana. A participação sul-americana na segunda fase prossegue na 14a bateria, novamente com um peruano e um brasileiro juntos contra dois surfistas de outros continentes, Tomas Tudela e Lucas Silveira, respectivamente. Na 15.a, o recém-coroado campeão sul-americano de 2017 da WSL South America, Thiago Camarão, faz sua estreia no QS 10000 de Haleiwa. E na 16.a e última batalha por vagas para disputar classificação para as oitavas de final com os cabeças de chave da terceira fase, serão três brasileiros contra o americano Evan Geiselman, Alejo Muniz, Luel Felipe e David do Carmo. Só dois passam.

#mundialdesurf #Surf

3 visualizações